100 comentários:
De zeza a 16 de Maio de 2008 às 00:13
Ola..pois sou neste momento uma mulher de 45 anos mas com 1 menino de 18 meses..e ainda ma~e de mais 3 todos mais velhinhos..nesta ultima visita á gino..e porque andava quase sempre com o periodo..e com dores desconfortaveis .. tive de visitá-la..resultado o colo está a sangrar muito mesmo muito.. aguardo o resultado da citologia .. mas sei que tenho de fazer colposcopia e biopsia.. estou muito alarmada..cheia cheia de medo.. nao dormo, nao como..s´o sei que tenho de viver para criar o meu bebe..nao sei ainda o que vai acontecer.. mas sem querer vim aqui parar.. e tive necessidade de desabafar..mil bjos e um Bem Haja por este blog..
De Cristina Costa a 2 de Junho de 2008 às 10:58
Olá a todas as mulheres!
Tenho 37 anos e foi-me diagosticado carcinoma no colo do utero em Fevereiro de 2008! Através do exame mais conhecido por papanicolau! Fiquei um pouco assustada, mas não em pânico, felizmente, consigo ter calma e encarar as coisas de uma forma positiva!
Fiz outro exame chamado colposcopia no consultório do médico para confirmar! E de facto, confirmou-se o mesmo resultado! Então passamos para outra fase, fiz na passada semana (28/05/08) uma conização com anestesia geral! Correu muito bem, recuperei muito bem da anestesia e vim embora do hospital em menos de cinco horas e sinto-me muito bem até agora! Tenho uma consulta no próximo dia 17/06/2008 para saber mais alguma coisa, mas estou super confiante que vai ser tudo resolvido e pelo melhor!
Não fiquem assustadas, pensem de forma positiva e encarem as coisas de uma forma descontraída! A forma como encaramos as coisas pode influenciar muito todo o processo de recuperação, por isso contribuam para que tudo corra da melhor forma!
Fiquem bem e muita força para todas que estão a passar pelo mesmo ou já passaram!
Abraços de força!
Cristina Costa

De Cátia a 5 de Novembro de 2008 às 17:26
Olá,gostaria muito de saber como vc está hj.
Seu tratamento acabou na conização/
bjks
De Ana Cristina a 4 de Junho de 2008 às 02:07
Estou de volta e agora com notícias ainda melhores, na sexta (30/05) tive outra consulta no IPO e que alegria ao saber que meus exames deram negativo e que teria alta do tratamento feito por lá. Agora é fazer o exame de papanicolau de 6 em 6 meses e alguns remédinhos para manter tudo em ordem.
Para as que ainda estão em tratamento sejam fortes e pensem positivo. Um beijinho a cada uma de vocês que por aqui passaram. Saúde!
De Nicky a 12 de Julho de 2008 às 22:14
ola eu deixo aqui o meu email quem quiser falar comigo sobre a cirugia que eu fiz meu email é lealinesinha@hotmail.com . Se não se lembram o que eu fiz foi uma cirugia pioneira em Portugal de conservação a um cancro invasivo do colo do utero.
Sejam positivas e boa sorte.
De Rita Cardoso a 9 de Setembro de 2008 às 17:17
Olá, no dia 10 de Dezembro fiz um comentário aqui a contar a minha situação, passado este tempo tenho sido vigiada, e o meu sistema imunitário conseguiu eliminar esta lesão, mas confesso que tenho sempre medo. Não fazia ideia da dimensão deste virus, até me ser disgnosticado. Por favor passem a palavra! Beijinho grande a todas!
De mi a 3 de Fevereiro de 2009 às 22:42
olá a uns atrás descobri que tinha hpv fiz tratamento e como não estava adiantando só queimar as feridas o meu médico resolveu tirar toda a parte externa do útero num procedimento cirurgico e finalmente negativou o hpv que era de alto risco.
Agora depois de 3 anos apareçam umas verruguinhas externamente na região da vagina e o médico pediu mais exames pra ver se o hpv voltou.
Fiquei com grande medo pq ele disse que não viu meu cólo de útero e fiquei assustada de não poder ter filhos.Não sei se passo em outro médico,meu maior sonho é ser mãe.Tenho medo de saber .
De Jaspe a 19 de Fevereiro de 2009 às 21:20
(Continuação)
Não queríamos voltar a Portugal sem tentarmos esta alternativa. E Graças a Deus o Prof. Leblanc arranjou maneira de mobilizar a sua equipa para me poder operar na semana seguinte. Telefonou-me ainda no mesmo dia para me perguntar se poderia então marcar a cirurgia para a quarta-feira seguinte. Na terça-feira, dia 20 , dei entrada no centre Oscar lembret e fui operada na manhã seguinte. Graças a este médico fantástico e mais uma vez Graças a Deus correu tudo bem, pois não tinha células cancerisnas nos gânglios e a operação decorreu como previsto. Passado um ano comecei a tentar engravidar e como não conseguia recorri à consulta de infertilidade do Hospital de Santa Maria. Engravidei logo na primeira tentativa de fertilização. Fiquei logo de baixa por ser uma gravidez de alto risco e tive o meu bebé com 29 semanas de gestação. O Prof. Leblanc tinha dito que poderia ir até às 36 semanas mas que provavelmente o meu útero era pequeno e não houve nada a fazer. Há casos de mulheres como eu em todo o mundo e a mais de 65% conseguiram ter os seus bebés após as 37 semanas de gestação. Passámos um susto com o nosso bebé no serviço de neonatologia do Hospital de Santa Maria, mas o nosso menino cresceu rapidamente e hoje está com 8 meses e é um rapagão! :-). Queria também partilhar convosco que a seguir a mim, foram mais 5 mulheres portuguesas a Lille para fazerem o mesmo que eu fiz. Por isso, se alguma de vós estiver numa situação idêntica áquela que eu descrevo em cima, não me importo de ajudar, antes pelo contrário. Boa sorte a todas.
De Jaspe a 26 de Fevereiro de 2009 às 14:25
Olá a todas,
Creio que o meu caso é um pouco diferente e por isso mesmo gostaria de o partilhar convosco. Em Novembro de 2005 numa consulta de rotina foi-me detectada uma ferida e presença do vírus HPV e fui aconselhada a fazer uma conização para remover o tecido afectado. Acabei por conseguir passar a ser seguida no IPO e foi lá que me fizeram a conização. Quando o resultado saiu chamaram-me para me dizerem que não havia nada a fazer, que se tratava de um carcinoma do colo do útero e que como já estava invasivo, a única forma de actuar seria removerem o colo e o útero. Agora imaginem, tal como muitas de vocês, na altura tinha 29 anos e estava precisamente a planear ter filhos e nunca me passou pela cabeça que por ter falhado uma consulta (tinham passado dois anos desde a última consulta e exames ginecológicos) me pudesse vir a acontecer uma coisa destas. A médica na altura disse-me que me podia manter os ovários para eu não entrar em menopausa precoce, mas que não podia manter o útero e que, apesar de achar que a lesão estava bastante localizada e era pequena, ainda nem sabia se teria que fazer radioterapia e quimo após a cirurgia. Parecia que o mundo estava a desabar e nem consegui proferir palavra, apenas chorava na frente da médica. Foi o meu marido que não parou de fazer perguntas. Quis saber se havia alguma alternativa. Não podia ser assim. Havia alternativas para tanta coisa. Se calhar nos Estados Unidos... Ao fim de tanto insistir o meu marido lá conseguiu que a médica lhe dissesse que havia uma técnica usada em França por um Dr. D'Argent, mas que nem sabia bem do que se tratava a técnica e se o Dr. D'Argent ainda seria vivo ou não, mas que certamente teria deixado percusores. A médica marcou-me na mesma a cirurgia radical para 2 de Janeiro, no entanto o meu marido não descansou enquanto não encontrasse uma alternativa. Passou as noites, ele e o irmão, a procurarem na internet informação sobre esta cirurgia alternativa. E encontraram, não só o Prof. D'Argent como o Prof. Querleu e o Prof. Eric Leblanc todos de França. E também encontraram o Dr. Sonoda nos Estados Unidos. Falamos tanto com o Dr. Sonoda que nos disse que os pioneiros desta técnica estavam em França e que dada também a distância, estaríamos muitíssimo em boas mãos com o Prof. Leblanc com o qual já tinhamos falado e que nos disse nos receberia na semana seguinte. E assim foi. Ainda antes de partir para Lille, onde fica o Centre Oscar Lembret do qual é médico o Prof. Leblanc, fomos à segurança social falar do meu caso, baseado numa carta da médica, a pedir apoio para a cirurgia que, como não se faz em Portugal, é necessário recorrer a outro país. Arrancamos para Lille (via Paris) mesmo antes de saber se teríamos apoio financeiro ou não e mesmo sem saber se o Prof. Leblanc poderia mesmo operar-me ou não, pois esta técnica só se pode fazer quando a lesão tem uma dimensão pequena, mesmo que invasiva. No dia 15 de Dezembro tivemos a consulta com o Prof. Leblanc que nos explicou a cirurgia com todos os pormenores. A lesão teria que ter uma dimensão inferior a 2 cm (apesar de que já fizeram com uma lesão superior a 4, no entanto cada caso é um caso) e teria que se garantir isso através de uma ressonância magnética. Mesmo assim só durante a cirurgia, e através de laparoscopia para remover os ganglios linfáticos (ao nível da virilha) que são observados ao microscópio para ter a certeza de que não têm qualquer célula cancerigena, é que se pode fazer a remoção do tecido caceroso, ou seja a remoção do colo do útero, dando uma margem e analisando-a para ter a certeza de que não há qualquer invasão para dentro do útero. Esta técnica é feita via vaginal e é depois é colocada uma cerclage no fundo do útero com um orífíco para poder ter as menstruações e poder vir a tentar engravidar. Claro que me foi explicado que seria sempre uma gravidez de alto e que para engravidar poderia não ser fácil, uma vez que passaria a não ter colo do útero. No entanto, toda a explicação nos pareceu do mais seguro a fazer, pois, a cirurgia seria composta por uma parte de laparóscopia em que me removeriam os ganglios para ter a certeza de que nada de mau estaria ao nível do sistema linfático. Insistimos para que me operasse o mais depressa possível. (continua)
De Andreia Fig. a 15 de Março de 2009 às 04:16
Boa noite

Gostaria de questionar a quem lhe foi diagnosticado um HPV de alto risco se antes do diagnóstico propriamente dito apresentaram alguns sintomas que despertassem para esse facto.

Obrigado
De marlene a 17 de Junho de 2009 às 19:22
olá,eu tinha dores ao ter relações antes de saber o diagnóstico final.
De Lucia a 26 de Março de 2009 às 19:13
Ainda estou em choque. Diagnosticada em Dezembro, citologia e biopsia em Fevereiro, colposcopia e conização em Março. Aconteceu tudo depressa demais, assustada demais e senti-me completamente sozinha.

Quando leio sobre conização nao entendo.. dizem que nao doi.. eu levei 4 injecçoes de anestesia e cada uma me fez arrancar lagrimas, depois cada vez que era conizada pensava que nao ia aguentar. Foi horrivel, estou no segundo dia e ainda tenho dores. So no fim de Abril saberei os resultados.
Agora tenho os sangramentos, os ovos para colocar.. enfim..

Quero engravidar, tenho 28 anos. Logo se ve..
De ana a 28 de Abril de 2009 às 11:51
olá Lucia.

acredito que aches estranho o facto de teres tido dores na conização, fiz a 07/04/09 , e não senti nada (senti a picadinha da anestesia) , nos dias seguintes algumas dores e o sangramento e "limpeza" que se diz normal.

espero que esteja tudo a correr bem. e que os resultados sejam os melhores!!!

o meu mail Anabastos19742hotmail.com
se quiseres contactar!!!

Comentar post